Palácio e Izabel Cristina serão transferidos

FOTO: ARQUIVO
Adilson Palácio não foi encontrado ontem para comentar a sua transferência, que deve ocorrer no início da semana que vem

VOLTA REDONDA
O delegado Adilson Palácio será transferido da 93ª DP (Volta Redonda). A comunicação foi feita hoje pela Chefia de Polícia Civil no Boletim Interno da corporação. Palácio, que estava na cidade há quase três meses, será delegado adjunto da 19ª DP (Tijuca), na Zona Norte do Rio de Janeiro. Para o lugar dele virá o delegado Antônio da Luz Furtado, que estava na delegacia para onde Palácio vai.
O delegado Adilson Palácio tomou posse no dia 7 de abril. O cargo dele, porém, estava ameaçado desde o início de junho. Sua transferência já era esperada depois que dois inspetores que trabalhavam diretamente com ele foram presos na Operação Alçapão, deflagrada pela Corregedoria Interna da Polícia Civil do Rio (Coinpol) e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio. Os inspetores Carlos Alberto Donato e Ronaldo Antunes Blanco são suspeitos de participação num esquema de proteção a contraventores da região de Niterói e São Gonçalo, permitindo a ação do jogo do bicho e exploração de máquinas caça-níqueis.
Donato e Blanco estão entre os sete policiais civis presos na operação, além de um delegado, um agente penitenciário e um advogado. Segundo as investigações, o grupo teria montado um verdadeiro “balcão de negócios” nas delegacias onde eram lotados.  
O grupo também é acusado de exigir dinheiro dos contraventores para que não houvesse repressão à exploração de máquinas caça-níqueis e o jogo do bicho. Os policiais ainda teriam a função, conforme as denúncias, de informar aos contraventores sobre possíveis operações nas regiões controladas por eles.
Procurado, Adilson Palácio não foi encontrado ontem para comentar a sua transferência, que deve ocorrer no início da semana que vem.
MUDANÇAS NA DEAM
Outra mudança será na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam). Titular no cargo, Izabel Cristina Camargo Leite será delegada adjunta na 89ª DP (Resende). O lugar dela será ocupado pela delegada
Giselle do Espírito Santo, ex-titular da 30ª DP (Marechal Hermes), no Rio.
Izabel também foi procurada ontem, mas não foi encontrada.
Vários crimes para serem apurados pelo novo delegado
Em Barra Mansa, a informação é de que a 90ª DP terá como titular o delegado Ronaldo Aparecido. Ele, que atualmente é adjunto na mesma unidade, irá substituir Georges Toth, que está de férias e será transferido para a 82ª DP de Marica. O adjunto do novo titular será Michel Floroschk, que atua como adjunto em Resende. Ronaldo terá vários crimes para desvendar. Um deles é o assassinato de Jonatas Lopes Ferreira, 29 anos, ocorrido, no inicio da madrugada do dia 14 de maio, em um terreno no bairro Saudade.
A vítima foi executada a pauladas e pedradas na cabeça. Familiares acreditam que Jonatas foi morto pelo fato dele ser homossexual. Os policiais encontraram na ocasião, próximo ao corpo, um pacote fechado com um preservativo. Já na mão direita da vítima, foi encontrado alguns fios de cabelo. Por isso, a polícia acredita que a vítima ainda tentou se defender antes de morrer.  
No dia do crime, um parente da vítima, em entrevista ao A VOZ DA CIDADE, que preferiu não se identificar, como era de costume, na sexta-feira, por volta das 23 horas, na véspera do assassinato, Jonatas saiu de casa, na Vila Maria onde morava com a mãe e os irmãos. Na manhã seguinte, ele foi encontrado morto. O corpo estava em um terreno nas proximidades do número 21, na Rua Antônio de Almeida. 
De acordo com o parente, Jonatas costumava ficar sentado na beira da rua, na Rua Homero Leite, onde era bastante conhecido, e que quando saiu de casa não falou nada se estava sendo ameaçado. Por isso, acreditam que sua morte é porque ele era homossexual. “Joantas era homossexual. Nossa família toda sabia. Mesmo não aceitando, respeitávamos a opção dele. Temos certeza de que ele não era usuário de drogas e nem envolvido com o tráfico de drogas ou em outro tipo de crime. Por isso, acreditamos nessa hipótese. Foi uma covardia e com certeza, ele não foi morto por uma pessoa só”, contou o parente na época.

fonte-http://www.avozdacidade.com/site/page/noticias_interna.asp?categoria=7&cod=4480

Nenhum comentário:

Postar um comentário